Conheça também nossas redes sociais: icon facebook icon twitter icon flickr 

Representantes de instituições do governo e da sociedade civil de cinco estados mais o Distrito Federal (DF) se preparam para a criação do Plano de Ação Estratégico para o Apoio às Cadeias de Valor de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Um encontro realizado nesta semana, em formato de oficina, deu o start nos trabalhos. Essa é mais uma etapa do Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos, que chega ao fim em 2016, após dois anos de promoção da saúde e inclusão produtiva com foco na agricultura familiar. 

O Plano de Ação será montado a partir dos resultados apresentados do Projeto de Fortalecimento. As metas, ações e atividades serão definidas de forma participativa. Ontem e hoje, os participantes se encontram no Centro de Convenções Israel Pinheiro, no Lago Sul, e formaram Grupos de Trabalho. O ponto de partida será o cenário das cadeias mapeadas nas diferentes regiões do país. Os resultados da oficina de encerramento serão utilizados para a construção de um novo projeto. 

Segundo o secretário substituto da Secretaria de Agricultura Familiar (Saf), Everton Ferreira, foi feito o trabalho amplo na parte de saúde, alimentação e mapeamento de plantas medicinais, onde vários pontos foram levantados no sentido de aumentar a produção dos agricultores familiares e ter outras alternativas de mercado e de comercialização. “Agora iremos propor novas ações. Mas foi um projeto muito interessante, com ajuda da Fiocruz, com ótimos resultados”, explica Everton.

Saldo positivo

O Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos envolveu representantes de associações produtoras, entidades do setor, governo e agora, ao fim do projeto, foi apresentado o saldo do trabalho. Doze espécies de plantas medicinais e fitoterápicas foram mapeadas; uma Rede de Tecnologia Social e Inovação foi criada e está em funcionamento, além da elaboração de uma proposta de legislação para as plantas medicinais e fitoterápicas analisadas, que foi entregue ao Ministério da Saúde.

Para a consultora da Saf Daniella Vasconcelos, o resultado Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos não poderia ter sido melhor. “O saldo é muito positivo e está dentro do que esperávamos”, pondera a consultora. Daniella explica que o objetivo agora é construir um novo Termo de Execução Descentralizada (TED), com as atividades já previstas para a partir de março de 2017; e ampliar o Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos, com ações direcionadas para as cadeias da sociobiodiversidade, agroecologia e orgânicos. 

As ações são parte de uma força-tarefa de apoio à implementação do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. A Sead desenvolve ações de incentivo e reconhecimento das práticas populares de uso de plantas medicinais e remédios caseiros. Uma delas é promover a capacitação de agricultores familiares no manejo e na produção de plantas medicinais, insumos e fitoterápicos adequados. 

Focado na inclusão da agricultura familiar nas cadeias e nos arranjos produtivos das plantas medicinais, insumos e fitoterápicos, a Sead atua como gestora de ações estratégicas pactuadas na Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e no Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, além de apoio à capacitação de agricultores familiares, técnicos e agentes de instituições de Ater nas áreas de cultivo e manejo sustentável de plantas medicinais, insumos e derivados.

 

Fonte:
Camila Costa
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Assessoria de Comunicação
Contatos: (61) 2020-0128 / 0127 e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicado em Notícias

A 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, cujo lema é “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar”, é um evento estratégico entre ações e iniciativas para se atingir as metas de erradicação da extrema pobreza no país. 

Cerca de 2 mil convidados devem participar do evento. Todos os estados estarão representados, respeitando-se a diversidade e a pluralidade do país. Dois terços da delegação, formada pela sociedade civil, terá entre seus integrantes representantes indígenas, quilombolas, população negra, povos de terreiro, além de outros povos e comunidades tradicionais e a população em geral.

A 5ª Conferência Nacional terá presença de governadores, ministros de Estado, parlamentares e observadores. Também será prestigiada por convidados nacionais e internacionais. Trata-se de um evento de inegável importância na agenda nacional, com visibilidade política e repercussão nos meios de comunicação.

Como encontrar mais informações 

O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) está com site novo, com mais recursos e melhor navegabilidade. No novo site oficial o Consea criou uma página específica para o grande eventos deste ano: a 5ª Conferência Nacional, que ocorre de 3 a 6 de novembro, em Brasília.

 Lá estão publicadas as exposições de motivos, recomendações, resoluções e todos os itens das plenárias, como as atas, as pautas e todos os documentos e apresentações. Também podem ser lidos artigos, notícias e entrevistas relacionadas ao universo da segurança alimentar e nutricional.

Os documentos produzidos até o momento já estão disponíveis: o decreto de convocação, o regimento e o caderno de orientações. Além desses, a página contém uma agenda com a programação das conferências estaduais.

Site do Consea/Conferência. 

Assista o vídeo "Comida de verdade" produzido para divulgação da Conferência

 

Publicado em Notícias
Sexta, 08 Maio 2015 15:06

Jornada Nacional de Saúde e Ambiente

Evento discutirá a importância das determinantes sociais e ambientais nos processos saúde-doença entre os dias 11 e 15 de maio em Fortaleza (CE). 

A Jornada de Saúde e Ambiente é promovida pela Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS) da Fiocruz e pela Abrasco. Reunirá pesquisadores, especialistas, representantes do poder público e de movimentos sociais de todo país. Os participantes foram convidados para discutir estratégias locais, regionais, nacionais e globais voltadas para a redução das iniquidades sociais e ambientais na perspectiva da sustentabilidade.

A Jornada Nacional de Saúde e Ambiente será realizada como resultado da consolidação das ações do Programa Institucional de Saúde, Ambiente e Sustentabilidade da Fiocruz. Fortaleza foi escolhida como local do evento porque a sede da unidade da Fiocruz Ceará, em construção, integrará o Polo Tecnológico de Saúde do estado. Sua missão está relacionada ao desenvolvimento de tecnologias e insumos para a saúde, ensino e realização de pesquisas científicas direcionadas à realidade ambiental e epidemiológica da região. 

 Mais informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Programação – Jornada Nacional de Saúde e Ambiente


De 11 a 15 de maio, no Hotel Sonata, na Praia de Iracema, em Fortaleza (CE)

 

11 e 12 de maio - Encontro Ampliado do Grupo Temático de Saúde e Ambiente da ABRASCO: avaliação do II SIBSA e Perspectivas de Articulação com Movimentos Sociais

11 de maio, 10h30 - Visita de Deputados Federais e Deputados Estaduais ao Polo Industrial e Tecnológico da Saúde do Estado do Ceará

11 de maio, 18h - Lançamento do Dossiê Abrasco sobre os impactos dos Agrotóxicos na Saúde e Cartilha PRONARA

12 de maio - Reunião do Grupo de Trabalho de Agrotóxicos da Fiocruz

13 de maio, 8h30 - Abertura oficial da jornada

13 de maio, manhã - Mesa Redonda - Desenvolvimento regional, sustentabilidade, ambiente e saúde

13 de maio, tarde - Colóquio – Fiocruz Ceará: Saúde, Ambiente, sustentabilidade e desenvolvimento, articulação e legado

13 de maio, tarde - Mesa Redonda - Saúde, ambiente e trabalho no território: projetos em construção e desenvolvimento no Ceará

14 de maio - Reunião da Câmara Técnica de Saúde e Ambiente da Fiocruz -  Debate: Água e a saúde como direito humano.

14 de maio - Colóquio – Cooperações Estratégicas em Saúde e Ambiente

15 de maio - Reunião do Centro Colaborador da OPAS/OMS para Ambiente e Saúde Pública

 

 

Publicado em Notícias
O alto índice de obesidade populacional favorece o aumento das complicações associadas ao excesso de peso corporal, afetando a qualidade de vida do indivíduo. Vários alimentos têm sido investigados com o objetivo de auxiliar no controle do peso, e, dentre esses alimentos, o chá verde, derivado das folhas da planta Camellia sinensis, parece ser eficiente tendo um efeito termogênico, além de promover maior oxidação da gordura corporal.
Publicado em Trabalhos Acadêmicos