Conheça também nossas redes sociais: icon facebook icon twitter icon flickr 

O Núcleo Farmácia Viva do Distrito Federal lançou o fitoterápico farmacopeico (FFFB 1- Anvisa, 2011) – Chá Medicinal de Guaco. O chá, com indicação expectorante, é apresentado em embalagem plástica primária lacrada, contendo 30g das folhas secas rasuradas de Mikania glomerata/M. laevigata, cultivada sem uso de agrotóxicos. A embalagem secundária é composta de envelope de papel pardo contendo impressas na parte frontal informações relativas aos nomes popular e científico da planta medicinal, parte usada, conteúdo em gramas, lote, data de fabricação, data de validade e nome do farmacêutico responsável. Na sua parte posterior, a embalagem secundária traz impressas informações sobre indicação, orientações para o preparo, modo de usar, advertências e a referência normativa da Anvisa utilizada. 

 

Núcleo Farmácia Viva DF

Funcionando a mais de 25 anos a Farmácia Viva DF já produzia dois fitoterápicos à base de guaco – xarope e tintura, todos com indicação expectorante. Outros fitoterápicos produzidos pela Farmácia Viva e muito procurados são: a pomada de erva baleeira, indicada como anti-inflamatório e para tratamento de atrite, tendinite e artroses; o gel de alecrim, gel de pimenta e gel babosa, indicado para tratamentos de pele; a pomada confrei, com ação cicatrizante; a tintura de boldo nacional, para problemas gástricos; e a tintura de funcho indicada pra gazes, má digestão e cólicas menstruais. 

Publicado em Notícias

Os médicos do Hospital Regional de Planaltina já sabem. Quando aparece alguém por lá com sintomas de resfriado, bronquite ou tosse, um remédio natural pode ser prescrito para ajudar - xarope de guaco. Se o assunto for incômodo muscular, a pomada da maria milagrosa faz valer o nome.

Compostos à base de espinheira santa e boldo são uma beleza para o estômago. O rigor científico, que se mistura ao saber da natureza, está a dez passos de distância: no Cerpis (Centro de Referência de Práticas Integrativas em Saúde), os remédios são oferecidos de graça, mediante receita.O centro é mantido pela Secretaria de Saúde desde 1983 e fica ao lado do hospital e do posto de saúde. 

Em 2014, foram distribuídos no Cerpis 4,2 mil medicamentos, totalizando 32 mil atendimentos. “Ao longo desses 30 anos, a adesão da comunidade foi surpreendente”, atesta, orgulhoso, o médico Marcos Freire, gerente do local. Todo o processo produtivo é feito no local. As plantas são recolhidas, deixadas para secagem em uma espécie de cabana feita com placas de zinco onde ficam por uma semana, em média, sob calor de 40º. Em seguida, as folhas ressecadas são levadas para o laboratório. 

A farmacêutica Isabele Aguiar, de apenas 26 anos, é a responsável pela manipulação há três anos. Até então, contudo, não dava muita atenção ao assunto. “Foi uma novidade que me encantou bastante. A gente sai engessado da faculdade, sai sem ver nada disso com profundidade, e a população valoriza muito. Uma frasquinho que a gente produz já deixa alguém alegre”, comenta.

Problemas A crise que afeta o sistema público de saúde não exclui, é claro, o Cerpis. Não existe mais, por exemplo, um jardineiro. “Cuidamos das plantas com ajuda de voluntários. Estamos na penúria”, comenta o gerente Marcos Freire. O local também precisa de reformas, já que a estrutura está ultrapassada. Os frascos dos remédios, cuja licitação foi feita em 2012, só chegaram no fim do ano passado. O jeito, em tempos de crise financeira, é apelar para
a ajuda da comunidade. “Esses dias estava faltando açúcar para fazer o xarope, e o pessoal trouxe dois pacotes”, comenta a farmacêutica.

Preconceito Segundo o médico, a desconfiança contra os remédios aparece, de vez em quando. “Existe muito preconceito, indisposição, que buscamos romper. Falam que é coisa da vovó, essas coisas”, comenta Marcos. “Mas a adesão da comunidade foi impressionante.” Depois de tanto tempo, o gerente só tem a celebrar: pelo menos a fitoterapia já foi regulamentada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que reconhece os benefícios das plantas e o inseriu no contexto do SUS (Sistema Único de Saúde). O sonho é continuar a expandir para que, em todo o hospital, também exista uma horta.

 

Texto: Fabiana Magalhães 

Fonte: http://www.readmetro.com

 

Publicado em Notícias
Terça, 28 Janeiro 2014 17:29

Fitoprodutos e desenvolvimento econômico

Natural products have been, historically, very important for Brazil. Coffee, sugar and soy were some examples that prove this economical significance. A project that involves phytoproducts should be guide by three main axis: agriculture management for the plants; pharmaceutical; support the national industry and academy. In Brazil, pharmaceutical products contribute negatively to the commerce balance showing an enormous technological dependence in this economical sector. The consolidation of the phytoproduct’s chain in Brazil could contribute for the development of the pharmaceutical sector in order to help all domains in natural products area.
Publicado em Estudos e Pesquisas
Este trabalho é o resultado de uma pesquisa exploratória por meio de metodologia qualitativa, de análise documental, da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos com base no modelo dos Fluxos Múltiplos de John Kingdon para análise de políticas públicas. Foi efetuada revisão dos modelos de análises de políticas públicas e analisados os antecedentes da formação da agenda das políticas públicas farmacêuticas e o processo de formação da agenda e formulação da Política referida.
Publicado em Estudos e Pesquisas
A transposição dos agentes terapêuticos da esfera do conhecimento tradicional para a abrangência dos cuidados institucionalizados de atenção à saúde pressupõe responsabilidades dos executores destas ações. Esta premissa é aplicável também aos medicamentos oriundos de plantas medicinais. Deste modo, este trabalho foi elaborado a partir da constatação da inexistência de norma nacional específica para produção de medicamentos enquadrados como fitoterápicos, em escala magistral, no âmbito do serviço público de atendimento à saúde, mais especificamente no Sistema Único de Saúde (SUS).
Publicado em Estudos e Pesquisas
Esta pesquisa se comprometeu a pesquisar os aspectos fitoquimicos e farmacognosticos da raiz de Cochlospermum regium (Mart. et Schr.) visando adquirir informacoes auxiliares para sua padronizacao como materia-prima vegetal para producao de fitoterapicos. Para analise fitoquimica foi realizado o fracionamento do extrato hidroalcoolico associado com a atividade antimicrobiana e, para o estudo farmacognostico foram realizados ensaios para caracterizacao morfoanatomica e fisico-quimica seguindo metodo farmacopeico. O extrato hidroalcoolico e suas fracoes, particularmente a fracao acetato de etila, apresentaram efeito antimicrobiano frente a Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa e ausencia de atividade sobre Escherichia coli, Enterococcus faecalis e Klebsiella pneumoniae.
Publicado em Estudos e Pesquisas
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é uma autarquia subordinada ao Ministério da Saúde, encarregada da regulação e regulamentação de fitoterápicos, dentre outros produtos. Em 2006, duas importantes políticas foram publicadas para a área de plantas medicinais e fitoterápicos, a Política Nacional de Práticas Integrativas (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS) e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF), fazendo com que a Anvisa tivesse que atualizar seus regulamentos.
Publicado em Estudos e Pesquisas

homeEspaço plural de diálogo e de articulação voltado à difusão e à reaplicação de iniciativas na área das plantas medicinais, fitoterapia e fitoterápicos, a Rede de Experiências, Tecnologias e Inovação em Saúde (RETiSFito) pretende contribuir para a implementação das políticas nacionais de plantas medicinais e fitoterápicos e de práticas integrativas e complementares e para a ampliação da oferta de serviços no Sistema Único de Saúde. A rede é aberta à participação de pessoas, organizações da sociedade civil, universidades, institutos de pesquisa, empresas e órgãos governamentais interessados em desenvolver projetos e ações intersetoriais.

O portal, o Facebook e o Twitter da RETiSFito serão lançados durante o I Simpósio de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Estado da Bahia, de 16 a 18 de outubro, em Salvador. O evento promoverá a discussão entre gestores, profissionais de saúde, estudantes e usuários do SUS sobre necessidades e soluções para implantação da fitoterapia no SUS no Estado da Bahia.

Na ocasião, a coordenadora do projeto Joseane Costa fará a apresentação da RETisFito e suas mídias e a assessora técnica da Fiocruz Alice Branco apresentará o Banco de Banco de Práticas e Soluções em Saúde e Ambiente (IdeiaSUS), que permite o compartilhamento de práticas, ações, iniciativas, projetos e programas que tenham por finalidade o enfrentamento de problemas nos campos da saúde e ambiente, com foco no SUS.

Acesse:

www.retisfito.org.br

www.facebook.com/retisfito

https://twitter.com/retisfito

www.ideiasus.fiocruz.br

Publicado em Notícias
O interesse de plantas, do ponto de vista medicinal e cosmetológico, tem levado a necessidade de eficientes métodos de extração. A preparação da amostra é uma das mais importantes fases no desenvolvimento de uma metodologia analítica em preparações herbais. O presente trabalho teve como objetivo propor metodologias alternativas para a análise de metabólitos vegetais em produtos naturais, com ênfase em procedimentos de extração.
Publicado em Trabalhos Acadêmicos
Este trabalho teve como objetivo realizar um estudo exploratório sobre o uso e dispensação de fitoterápicos e plantas medicinais em farmácias e drogarias de Porto Alegre (Brasil). Foram contatadas 20 farmácias e em todas foi relatada a procura por fitoterápicos e plantas medicinais. A maioria dos produtos dispensados é aprovada pela legislação brasileira e internacional; o acompanhamento de receita médica é eventual e a solicitação de orientação farmacêutica não é freqüente.
Publicado em Artigos
Pagina 3 de 5