Conheça também nossas redes sociais: icon facebook icon twitter icon flickr 

Quinta, 08 Dezembro 2016 18:00

Sead e Fiocruz unem esforços por plantas medicinais e fitoterápicos

SEAD - ASCOM SEAD - ASCOM SEAD ASCOM

Representantes de instituições do governo e da sociedade civil de cinco estados mais o Distrito Federal (DF) se preparam para a criação do Plano de Ação Estratégico para o Apoio às Cadeias de Valor de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Um encontro realizado nesta semana, em formato de oficina, deu o start nos trabalhos. Essa é mais uma etapa do Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos, que chega ao fim em 2016, após dois anos de promoção da saúde e inclusão produtiva com foco na agricultura familiar. 

O Plano de Ação será montado a partir dos resultados apresentados do Projeto de Fortalecimento. As metas, ações e atividades serão definidas de forma participativa. Ontem e hoje, os participantes se encontram no Centro de Convenções Israel Pinheiro, no Lago Sul, e formaram Grupos de Trabalho. O ponto de partida será o cenário das cadeias mapeadas nas diferentes regiões do país. Os resultados da oficina de encerramento serão utilizados para a construção de um novo projeto. 

Segundo o secretário substituto da Secretaria de Agricultura Familiar (Saf), Everton Ferreira, foi feito o trabalho amplo na parte de saúde, alimentação e mapeamento de plantas medicinais, onde vários pontos foram levantados no sentido de aumentar a produção dos agricultores familiares e ter outras alternativas de mercado e de comercialização. “Agora iremos propor novas ações. Mas foi um projeto muito interessante, com ajuda da Fiocruz, com ótimos resultados”, explica Everton.

Saldo positivo

O Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos envolveu representantes de associações produtoras, entidades do setor, governo e agora, ao fim do projeto, foi apresentado o saldo do trabalho. Doze espécies de plantas medicinais e fitoterápicas foram mapeadas; uma Rede de Tecnologia Social e Inovação foi criada e está em funcionamento, além da elaboração de uma proposta de legislação para as plantas medicinais e fitoterápicas analisadas, que foi entregue ao Ministério da Saúde.

Para a consultora da Saf Daniella Vasconcelos, o resultado Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos não poderia ter sido melhor. “O saldo é muito positivo e está dentro do que esperávamos”, pondera a consultora. Daniella explica que o objetivo agora é construir um novo Termo de Execução Descentralizada (TED), com as atividades já previstas para a partir de março de 2017; e ampliar o Projeto de Fortalecimento da Gestão da Agricultura Familiar em Plantas Medicinais e Fitoterápicos, com ações direcionadas para as cadeias da sociobiodiversidade, agroecologia e orgânicos. 

As ações são parte de uma força-tarefa de apoio à implementação do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. A Sead desenvolve ações de incentivo e reconhecimento das práticas populares de uso de plantas medicinais e remédios caseiros. Uma delas é promover a capacitação de agricultores familiares no manejo e na produção de plantas medicinais, insumos e fitoterápicos adequados. 

Focado na inclusão da agricultura familiar nas cadeias e nos arranjos produtivos das plantas medicinais, insumos e fitoterápicos, a Sead atua como gestora de ações estratégicas pactuadas na Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e no Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, além de apoio à capacitação de agricultores familiares, técnicos e agentes de instituições de Ater nas áreas de cultivo e manejo sustentável de plantas medicinais, insumos e derivados.

 

Fonte:
Camila Costa
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Assessoria de Comunicação
Contatos: (61) 2020-0128 / 0127 e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.