Conheça também nossas redes sociais: icon facebook icon twitter icon flickr 

No município de IgarapéMiri, como em todo o estado do Pará, é comum o uso de plantas medicinais para o tratamento de muitas doenças. Da mesma maneira, em vários estados do país se têm registrado programas oficiais de plantas medicinais e para mapear as espécies vegetais utilizadas na fitoterapia popular aplicamse metodologias etnoorientadas tais como a etnobotânica e a etnofarmacologia, principalmente.
Publicado em Estudos e Pesquisas
Esta monografia estuda a diversidade de plantas e seus usos pela comunidade Kaingang da Terra Indígena do Guarita – RS. Realizou-se levantamento etnobotânico a partir de três informantes-chave das comunidades de Pedra Lisa e Três Soitas. Foram analisados a forma de preparo e o modo de uso das plantas medicinais, além da parte da planta utilizada, bem como as compreensões e significações dos Kaingang frente à alimentação, plantas depurativas, plantas ritualísticas e repasse do conhecimento.
Publicado em Estudos e Pesquisas
A partir do levantamento das plantas utilizadas como medicinais por moradores e Agentes Comunitários de Saúde, do Posto de Saúde da Família do bairro Ponta Grossa, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, foram selecionadas as dez espécies mais importantes para a comunidade. Para estas espécies foi realizada uma revisão bibliográfi ca, buscando estudos sobre sua constituição química e atividade farmacológica. Para todas as espécies foram encontrados dados químicos e para nove delas dados de atividade farmacológica.
Publicado em Estudos e Pesquisas
Comunidades tradicionais são consideradas como detentoras de grande conhecimento sobre a diversidade vegetal comparadas a populações urbanas. Neste estudo foi comparada a diversidade de plantas conhecidas por comunidades quilombolas Kalunga e populações urbanas, em três municípios no nordeste do Estado de Goiás: Teresina de Goiás, Cavalcante e Alto Paraíso de Goiás. Este levantamento etnobotânico trás informações sobre o uso de plantas nativas do cerrado para fins medicinais tendo como alvo quatro comunidades Kalunga (Emas, Limoeiro, Ribeirão de Bois e Engenho II) e quatro populações urbanas (Teresina de Goiás, Cavalcante, Alto Paraíso de Goiás e São Jorge).
Publicado em Estudos e Pesquisas
Os conhecimentos tradicionais dos usos mais comuns dados aos vegetais podem ser resgatados pela etnobotânica e utilizados para a valorização das plantas do Cerrado no processo de desenvolvimento econômico. Este estudo foi conduzido no município de Alto Paraíso de Goiás, localizado na microrregião denominada Chapada dos Veadeiros, a uma distância de 230 km de Brasília. O levantamento etnobotânico teve como alvo comunidades do entorno do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e da cidade de Alto Paraíso.
Publicado em Estudos e Pesquisas
A partir da década de 1990, o governo brasileiro – signatário da Convenção sobre Diversidade Biológica - deu início a um debate político em torno da elaboração de um novo marco regulatório na área de pesquisa e bioprospecção dos “recursos genéticos” e dos chamados “conhecimentos tradicionais associados”, tendo como objetivo o estabelecimento de relações mais “equitativas” entre pesquisadores, empresas e outros setores da sociedade. Nesta tese, partindo de uma abordagem da antropologia da ciência, busquei analisar a relação entre pesquisadores da área de biodiversidade e os coletivos locais diretamente envolvidos em seus projetos no âmbito do contexto histórico da regulamentação.
Publicado em Estudos e Pesquisas
O objetivo deste trabalho foi promover o resgate do conhecimento sobre plantas utilizadas na medicina popular no Município de Cujubim-RO, a partir de um levantamento etnobotânico. Foram realizadas entrevistas acerca do modo de uso, dose preconizada, parte do vegetal utilizada, seu modo de preparo e indicação terapêutica, além de coleta e identificação taxonômica das plantas. Foram obtidas 540 citações de utilização das plantas, sendo identificados mais de 50 tipos de doenças.
Publicado em Artigos
O objetivo deste trabalho foi investigar as práticas populares e tradicionais de uso de plantas medicinais comercializadas em três mercados públicos do Nordeste brasileiro. Caracterizou-se como observacional, descritivo e exploratório, realizado nos mercados São Sebastião, Ceará, Central de João Pessoa, Paraíba e São José, Pernambuco, no período de fevereiro a agosto de 2011.
Publicado em Trabalhos Acadêmicos
O trabalho teve por objetivo proceder o levantamento etnobotânico das espécies vegetais utilizadas popularmente no Distrito de Pirizal - MT, no pantanal mato-grossense, como antiúlceras e antiinflamatórias. A entrevista aberta foi realizada através da aplicação de um roteiro base a 38 informantes adultos, na faixa etária de 25 a 75 anos.
Publicado em Artigos
Foi realizado um levantamento das plantas medicinais mais solicitadas a raizeiros do centro da cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, ou por eles indicadas. Esse levantamento foi efetuado em duas épocas distintas: 1992 e 2002. A compilação dos dados revelou que 27 espécies foram citadas em 1992 e 32 em 2002.
Publicado em Artigos
Pagina 1 de 2